Colleagues giving a fist bump

Retomada econômica: colaboração é palavra de ordem para turismo

Gradualmente os setores da economia já começam a sentir os sinais da recuperação. Para o turismo, dados como do estudo Monitora Turismo, realizado pelo Ministério do Trabalho e Previdência, demonstram um crescimento de 25% no número de contratações somente em julho, sendo o setor responsável por abrir mais de 20 mil vagas. Essa sinalização positiva vem acompanhada de diversas iniciativas, sendo desenvolvidas por todas as frentes: público, privado e terceiro setor. E, para potencializar esse avanço, a união destes atores será crucial.

Em um momento de interdependência, o coletivo se mostra como uma solução mais assertiva do que as estratégias individuais. Um bom exemplo desse movimento é a Bora Viajarh, iniciativa apoiada por empresas de diferentes segmentos, desde redes hoteleiras até organizações voltadas ao recrutamento e seleção de pessoas. O objetivo é acelerar o avanço no turismo incentivando os colaboradores a realizar suas viagens de férias. Atitudes neste modelo fomentam e potencializam não somente o turismo em si, mas toda a economia do destino.

Com as férias de fim de ano se aproximando e o mercado ressaltando a tendência do turismo doméstico, realizar alianças que ressaltam a segurança e as boas práticas sanitárias dos destinos são alguns dos comportamentos que permitirão a consolidação do segmento durante tal retomada. Com os representantes conscientes de seu papel dentro da indústria se torna viável a promoção de serviços mais robustos e confiáveis ao viajante, além de alcançar os objetivos econômicos.

Para tanto, também há de se ressaltar que na busca por parcerias comerciais, mais do que avaliar os resultados que serão obtidos, gestores também devem se atentar à elaboração de instrumentos legais que assegurem os interesses das partes envolvidas na negociação. Bem como o compliance das empresas as quais se busca aliar. Além de enfatizar a seguridade, tais particularidades garantem aos envolvidos a clareza durante a realização das atividades, definindo aspectos específicos e condições sob as quais a aliança acontecerá.

A atenção a estes fatores serve de reflexo para a qualidade dos serviços prestados, demonstrando ao consumidor o comprometimento com a oferta e colaborando para que mais do que uma viagem, o cliente possa contar com uma experiência memorável e de valor.